Archive for Junho, 2010

Omaha Beach

30 de Junho de 2010

Finalizando a programação do final de semana que foi quente e de sol, fomos a Omaha Beach.

Hoje a praia é linda, cheia de famílias se divertindo. Mal dá para imaginar que no Dia D ela estava lotada destas barreiras na areia:

Ao longo da praia inteira há vários memoriais lembrando o desembarque na Normandia, há 66 anos. Este é um:

O mesmo de mais perto:

Mas o mais impressionante e grandioso, sem dúvidas, é o cemitério militar americano. O memorial do cemitério está na foto abaixo:

Além do memorial, o cemitério é muito grande. Tem soldados mortos em todas as grandes batalhas realizadas na Europa. Esta área da foto de baixo é uma pequena parte do espaço inteiro, de onde se vê a praia ao fundo.

Mont Saint Michel

29 de Junho de 2010

Continuando a viagem, saímos de Giverny e fomos mais para o norte, no litoral do Atlântico. Nosso destino foi o Mont Saint Michel – uma enorme surpresa, sem dúvida, mesmo já sendo a nossa expectativa muito grande. Do carro, tivemos essa visão do Mont:

Bom, para quem não conhece, o Mont Saint Michel fica no litoral norte da França. Ele foi construído em cima de uma grande rocha que fica dentro do mar – que liga a França à Inglaterra. Na verdade, não é uma ilha porque ele só se isola do continente quando a maré sobre, o que não é sempre e nem toda a época do ano. De perto dá para ver melhor:

Dá para ver? Tem mar por todos os lados e só está ligado ao continente por um pequeno caminho de terra que às vezes some. A próxima foto foi tirada do alto do monte:

Esse pequeno caminho é o único que liga o Mont Saint Michel ao continente. Dependendo da hora, o mar sobe e o isola. Os estacionamentos mostrados na foto tem sempre avisos dizendo a hora em que os carros devem ser retirados. Se essa indicação não é cumprida, o carro é engolido pelo mar.

Como essa “ilha” fica numa área estratégica para os antigos conflitos entre França e Inglaterra, ela é uma espécie de fortaleza que os ingleses nunca conseguiram dominar. Na foto de baixo dá para ver um pedaço da muralha:

Além de ser uma fortaleza, o Mont Saint Michel abriga também uma enorme abadia, que deve ter dado um trabalho enorme para os arquitetos e principalmente para os operários medievais. Parece uma Notre Dame no alto de um rochedo:

Desde a Idade Média, o local atraiu muitos peregrinos, reis católicos iam lá algumas vezes. Assim, dentro do Mont Saint Michel também se construiu uma pequena vila medieval que está praticamente intacta hoje.

A foto de cima é a entrada da cidade e a de baixo mostra como tem lojinha e turista hoje nas ruas apertadas de lá.

Dentro da abadia, depois de subir muitas escadas, você chega num pátio bem inesperado para o lugar, onde os monges ficavam algumas horas por dia.

Vendo, é difícil de acreditar que se está numa abadia no alto de um rochedo no meio do mar. Mas é isso mesmo. É um passeio imperdível para quem está na França! Tivemos a sorte de visitar o Mont Saint Michel tanto à noite como de manhã, já que dormimos na cidade ao lado. À noite, com a iluminação, olha só como ele fica:

Giverny

28 de Junho de 2010

Viajar pela França surpreendeu! Realmente, não esperávamos ver tanta coisa legal em um só final de semana. Sendo assim, não vou postar tudo hoje, vou dividir a viagem em três.

No sábado pegamos o carro e fomos direto para Giverny. Giverny era a casa do Monet fora de Paris. Vários pintores impressionistas tinham esse movimento de partir para o campo e lá buscar ambientes que pudessem trabalhar em seus quadros. Nessa sua casa, Monet cuidava de um grande jardim que lhe servia de modelo para vários de seus quadros.

Pela casa dele dá para ver o quanto ele gostava de flores:

Esse é um pedaço do jardim…

… de onde saíram vários dos seus quadros. Na foto abaixo, está um dos ambientes que ele pintou, com as ninpheas e a ponte ao fundo.

É bem legal, dá para ver de onde saíam as pinturas dele – na comparação fica claro…

Brasileiros em Trocadero

25 de Junho de 2010

Apesar do jogo mixuruca, a presença brasileira foi forte em Trocadero, no telão da Fifa:

Este final de semana, pegamos mais uma vez um carro e vamos para o Norte da França. Segunda coloco as fotos, até!

Mais uma de cima da torre

24 de Junho de 2010

Nessa, dá para ver o Grand e o Petit Palais, o Louvre e a ponte Alexandre III. De cima ela fica bem legal.

Dentro da Torre

23 de Junho de 2010

Subir a Torre Eiffel é bem legal, principalmente se você está com paciência para enfrentar uma fila enorme para pegar o elevador. Se faltar um pouco de paciência, dá para optar por subir até o segundo andar de escadas. Tem pouca fila e é mais barato. Por outro lado, sobe-se muitos – muitos! – degraus. Cansa, mas é legal. Dá para ver bem a estrutura da torre por dentro e ainda tem umas “graças” tipo essa:

É um antigo elevador preservado, assim como foi preservado o seu antigo técnico.

Verão!!!

22 de Junho de 2010

É, hoje a cidade ficou mais com cara de verão. 25 graus, calor na rua, sol até às 9 e tanto da noite… Nesse cenário, fica até engraçado rever as fotos de uns seis meses atrás. Olha essa – eu e Julia na Place des Voges:

Fête de la musique

21 de Junho de 2010

Finalmente chegou o verão! Volto à estação em que cheguei à Europa e chega a estação em que vou embora. O primeiro dia do verão é aquele em que a noite é a mais curta do ano. É o dia em que escurece mais tarde e clareia mais cedo. Finalmente, vai parar de cada dia escurecer um pouquinho mais tarde – nos últimos dias, às 23 horas ainda tinham uns cantos vermelhos no céu, às 10 da noite parece cinco da tarde. Para comemorar a entrada da nova estação, essa longa noite é comemorada por toda a cidade – a Fête de la musique. Por toda a cidade, tem os mais diferentes eventos musicais. Um exemplo de lugar é esse da foto, ao lado do Louvre (dá para ver a festa e o museu com a pirâmide ao fundo):

Como dá para ver, o ambiente é bem legal, mas a cara ainda não é de verão. Sem casaco à noite não dá para passar não. Semana passada fez 12 graus!!! Às vésperas do verão é dose!

Banco do Brasil

20 de Junho de 2010

No clima da Copa, vai uma foto antiga:

Acho até que essa agência se mudou, pois passei ali perto outras vezes e não vi esse discreto amarelo do “patrocinador oficial da seleção brasileira”. Ainda é?

Appel du 18 juin 1940

19 de Junho de 2010

Ontem, completaram-se 70 anos do episódio que os franceses chamam de “Appel du 18 juin”. É o seguinte: em meados de 1940, os alemães dominaram o norte da França. Alguns militares insatisfeitos com a rendição francesa partiram para a Inglaterra e lá começaram a organizar uma resistência ao domínio nazista. O general De Gaulle, no dia 18 de junho de 1940, fez, de Londres, um pronunciamento convocando os franceses a resistirem ao nazismo e a lutarem pela liberdade e pela esperança. Esse foi o “Appel”. Ontem, para comemorar o aniversário do início da resistência dos franceses, foi feita uma grande comemoração no Hôtel des Invalides. O prédio, à noite, virou um grande telão para se contar a história da Segunda Guerra.

Nessa primeira foto, o prédio construído por Luís XIV fica cheio de símbolos nazistas. O cume dourado que aparece no fundo é a cúpula da capela onde fica o túmulo de Napoleão.

Nessa aí, o portão do prédio tem um símbolo (acho que é o da Resistência) e é contada a história da batalha de Stalingrado.

Por fim, são mostrados jovens de hoje e é projetada a frase: “Nós somos todos filhos do 18 de junho”.